A importância do colo para os bebês

Colo-bebe

Sim, vivo falando disso, mas percebi que nunca tinha feito um post somente sobre o assunto. E ele merece. Ô se merece! Ah, como eu ouvia críticas por “dar colo demais para minha filha”. Sim, ela vivia no colo, quando era recém nascida, principalmente. O TEMPO TODO. Eu aprendi a fazer as coisas com uma mão só não somente para desenvolver essa sábia habilidade motora, mas sim por necessidade. A Valentina fazia tudo junto comigo, no meu colo. Dormia muito no meu colo, tanto que o berço quase chorava de tristeza por que o bebê nunca chegava nem perto dele.

Eu, no período de grávida, já lia coisas a respeito, mas como sempre digo aqui, gestantes não são, necessariamente, mães, e elas se preocupam muito mais em preparar o ambiente para o bebê, do que com o bebê, digamos assim. Eu pesquisava mais enxoval, dor do parto, essas coisas. No entanto, intuitivamente, senti, desde o primeiro momento da maternidade, que o colo só podia fazer bem para a Valentina. E um dos posts mais legais que li na época “Lugar de recém nascido é no peito” me fez ter certeza de que eu estava no caminho certo. Continuar lendo

Anúncios

Criação com apego ou como educar filhos com empatia e afeto

Criação com apego

Daí que você dá colo para o seu bebê sempre que ele quer, amamenta em livre demanda, não gosta de castigar e tenta, ao máximo, dar bastante carinho e aconchego para o pequeno e vem aquela sua parenta e diz:

— Nossa, essa criança está sendo muito mimada! Isso que você está fazendo vai estragá-la, certeza!

Você, que já aprendeu a desenvolver um nível de indiferença enorme a tudo isso, ainda assim tem um pouco de vontade de mandar a dita cuja ir plantar milho para fazer pipoca. No entanto, a diva que mora em você fica de boa, faz de conta que nem ouviu, pois sabe que está fazendo o que é melhor para o filho, o que seu coração diz para fazer. Sem saber, isso o que você está fazendo tem nome: Criação com Apego. É disso que vou falar hoje. Continuar lendo

Quando as crianças adquirem a noção de tempo?

relogio

Crianças pequenas não sabem esperar. Bebês, então, nem se fala! A mãe quer terminar o almoço e o pequeno está berrando por atenção. Daí a mãe diz: Espera um pouquinho, daqui a pouco a mamãe vai. E o guri, sem entender nada, chora mais alto ainda, afinal de contas, quem é esse tal de daqui a pouco?

Pois é. A paciência é uma virtude que não faz parte das fofurices dos pequenos. No entanto, há quem diga:

— Essa criança não sabe esperar!

Ora, claro que não sabe. A espera requer um conhecimento do que é o tempo. Algo que nos primeiros anos ainda não E-X-I-S-T-E.

É sobre isso que vou falar hoje. Continuar lendo

Bebês sentem falta do útero – entenda por quê

Recém nascido

Hoje vou falar sobre o quarto trimestre de gestação.

Mas, Cíntia, como assim? Até onde sei são três trimestres, sendo nove meses ou, no máximo, quarenta e duas semanas. Estou errada? Meu bebê nasceu antes do tempo?

Não. E sim. Peraí, vou explicar.

É claro que não existe, em humanos, uma gestação de 54 semanas. Coitada da grávida se isso acontecesse. Chegaria no final da gravidez sem um pingo de ar. Continuar lendo

Mito 3 – O bebê chora sem parar? É cólica, certeza!

 

BB Japa - Pixabay

Minha filha nunca teve cólica. Não sei se por sorte ou por que fiz alguma coisa certa nesse tempo de maternidade, mas o fato é que aquela cena do bebê se esgoelando noite inteira não passou na novela da minha vida. Sim, claro, ela já me acordou umas três vezes chorando sem motivo aparente, mas era sempre por cansaço (quando ela não dormia quase nada de dia). Mas, lembro que, imediatamente, após o nascimento dela fiquei com MUITO medo de que ela tivesse a tal da cólica. Por isso, não queria saber: cortei chocolate, café (que eu AMO, bebo uma garrafa por dia), feijão, industrializados, leite (mas não de todo) e fui ser feliz selecionando tudo o que eu comia.

Continuar lendo

Mito 2 – Deixa o bebê chorar, é bom para ele aprender

 Bebê chorando - Pixabay

“Quando um recém nascido aprende em um berçario que é inútil gritar, está sofrendo sua primeira experiência de submissão e abandono.” (Michel Odent)

Hoje resolvi começar o post de  modo diferente. A frase acima ilustra bem essa segunda parte da série que estou fazendo sobre os mitos que cercam o mundo dos bebês. Como havia prometido, vou falar um pouquinho a respeito daquela teoria das nossas tias-avós (me perdoem, parentes, é só modo de falar) de que tem que deixar o bebê chorar um pouquinho, caso contrário ele vai achar que é o imperador do mundo, que pode tudo, que é o cara. Além disso, diziam elas, é bom chorar para encher os pulmões do bebê (porque eles nascem vazios, todo mundo sabe e só enchem quando a mãe o abandona no berço gritando aos quatro ventos por ela). Continuar lendo

Cinco mitos sobre bebês – Primeira parte

Bebê e mamãe

O que eu vou falar aqui, mamãe, o seu coração já sabe há um tempão.

“Poxa, Cíntia! Lá vem você dizer que vai falar o óbvio. Vou parar de ler esse blog!” Continuar lendo

Por que não lembramos de quando éramos bebês?

Bebê PB

O começo desse post será um pouco diferente. Vou contar uma coisa que aconteceu comigo quando eu era um bebê da idade da Valentina, de cerca de 1 ano.

?????

Você deve estar pensando: ou isso é ressaca de fim de ano ou essa mina ficou muito louca com a maternidade. Como assim ela lembra de quando era bebê? NINGUÉM LEMBRA! Continuar lendo