Parte 3 – Como lidar com o uso de tecnologia na infância

Dicas-tecologia-crianca

Agora, vem a parte 3 da trilogia, a mais esperada, a que vai explicar tudo e resolver todos os conflitos. Brincadeira. É só o último post da série sobre tecnologia, que eu comecei há alguns dias (não fale semanas, que não faz tanto tempo assim). O fato é que já provei (acho) por A + B na parte 1 e 2 dessa série que lidar com a tecnologia na infância carece de boas doses de sabedoria e jogo de cintura. Se não leu, não perca tempo, volta duas casas e lê os dois anteriores. Mas se não quiser, tudo bem, que você é livre para fazer o que quiser.

Abaixo, sem mais delongas, trago hoje algumas dicas tiradas de minha própria experiência, já que sou mãe, e também de tudo que li e vi por aí. São ideias de como lidar com a tecnologia na infância, de modo a usá-la a favor e não contra o bom desenvolvimento dos pequenos. Confere tudo que está coisa boa demais esse post.

Continuar lendo

Anúncios

Posts em série – Parte 2 – A tecnologia faz mal ou bem às crianças?

Tecnologia crianca.jpg

Se você é mãe ou pai e está lendo esse post agora, me ajude com uma enquete: seu filho (a) tem algum aparato tecnológico, como tablet ou celular? Quantas horas por dia ele passa mergulhado nessas telas? Por qual motivo você “liberou” o acesso, digamos assim? Calma, eu sei, são muitas questões, mas é que para esse post é necessário. Não quero aqui ficar falando sozinha, pois parece que estou meio atordoada da mente, então me ajude a achar que tem alguém lendo esse troço (rsrs).

Seguinte: o post de hoje é uma continuação do anterior (se não leu o primeiro, corre lá agora que eu aguardo aqui, de boa) sobre a relação entre tecnologia e infância, ou melhor se é benéfico ou não deixar que as crianças mergulhem no mundo digital, sem pensar no amanhã. Porém, para começar, tenho uma outra pergunta: você que me lê se sente mais produtivo e feliz quando está diante de alguma tela ou longe dela? Continuar lendo

Cinco coisas legais de ser mãe

Coisas boas de ser mae

Como prometido, venho por meio desta (lembra disso?) mostrar que como tudo na vida, a maternidade também tem dois lados. Anteriormente, disse das coisas não tão legais, das dificuldades de todo dia na vida de uma mãe. Agora vou falar de alegria. De coisa feliz. De arco-íris, unicórnio e chocolate. Do que me faz essencialmente feliz por ser mãe, e tenho quase certeza que se aplica a grande parte das outras companheiras de maternagem. Pois bem, bora lá.

Continuar lendo

Cinco coisas não tão legais de ser mãe

Maternidade desvantagens

Quem acompanha esse blog sabe que eu AMO ser mãe, do fundo do meu coração. Nem pestanejo para responder que a minha filha só me trouxe mais felicidade, autoconhecimento e leveza. No entanto, toda mãe sabe que nossa função não é lá tão calma e fácil de executar. Passamos diariamente por uma gama de sentimentos, sensações e desafios. Nunca ninguém reconhece nada do que a gente faz, e tudo bem. Seguimos juntas, todas invisíveis. Por isso, esse post é apenas para pontuar algumas coisinhas que são um pouco “desvantajosas” na nossa vida materna. Nem sempre são negativas, às vezes são apenas difíceis de aguentar mesmo. Tudo bem. Leia essas minhas ponderações e ouse dizer se estou errada (kkk. Tô desafiadora hoje). Continuar lendo

Dica 4 para facilitar a rotina das mães solteiras – Como se relacionar com o pai

Como lidar com o pai

Ai meu Deus! Lá vamos nós. Esse tópico vai ser um pouco polêmico, pois envolve uma figura quase sempre ambígua e complicada: o pai da criança. Não importa se o filho foi fruto de um relacionamento de um dia ou de dez anos, de todo modo vai ser difícil ajustar as coisas depois. Eu, particularmente, já passei por várias fases, nesse sentido, mas acho que talvez tenha descoberto, de certa forma, o que funciona e o que não funciona.

Pois bem. Sem mais delongas, cheguei (até que enfim!) ao quarto e último post da série de dicas para facilitar a rotina das mães que criam filhos sozinhas.

Bora.

Continuar lendo

Dica 3 para facilitar a rotina das mães solteiras – vamos falar de dinheiro?

Dicas para mães solteiras -  Dinheiro

Dando uma linda continuidade à série de posts com dicas para as mães que criam filhos sozinhas,vou falar hoje de dinheiro.  O post de hoje é uma ajudinha apenas, tendo em vista que não sou bem uma economista/consultora financeira/Tio Patinhas sabe tudo, mas sim uma mãe com trocentos braços (como todas as outras) se segurando o tempo todo na corda bamba da vida.

Sim, por que eu bem sei a realidade da maioria: banca tudo sozinha e tem que, muitas vezes, aceitar emprego que não gosta, chefe idiota e tudo mais para conseguir fechar o mês no azul. Pois bem, eu não banco tudo sozinha, mas tenho MUITOS gastos com a Valentina e sou uma jornalista. Isso quer dizer que não sou exatamente um Steve Jobs da fortuna.

Com essas premissas básicas, chegou a hora das dicas espertas dessa que voz fala. Vamos lá? Não tenha medo. Continuar lendo

Dica 2 para facilitar a rotina das mães solteiras -Como educar filhos independentes e colaborativos

Criar filhos sozinha

Seguindo a promessa (sempre cumprida) de dar dicas para facilitar o dia a dia das mães que criam os filhos sozinha, eis que hoje vou tocar em um dos pontos mais importantes e difíceis dessa dinâmica: a educação. Sim, muito difícil para TODO MUNDO educar gente decente, que vai respeitar o próximo, se amar, amar o outro, fazer diferença, ser feliz, etc, etc, etc, mas maẽs solos tem trabalhão dobrado, como sempre. A falta completa ou em partes da figura paterna pode, muitas vezes, fazer com que as mulheres nessa condição sintam a necessidade de assumir também esse papel, o que é bem complicado.

Vou falar da figura do pai nos próximos posts. O de hoje tem como objetivo (ui, que formal!) ajudar as mães a enxergarem que com coerência, persistência e paciência dá para fazer um ótimo trabalho e, de quebra, tornar os pequenos aliados importantes na rotina.

Quer ver só. Vamos por partes again. Continuar lendo

Dicas para facilitar a rotina das mães solteiras – Primeira parte

Dicas para mães solteiras

Olá, minha querida leitora. Hoje o post vem do fundo do coração.

Peraí, não me entenda mal. Todos os outros também vieram, mas esse é um que emociona um pouco mais, que mobiliza cada célula do meu humilde ser. Pois bem, o assunto rende tanto que vou fazer uma série de posts seguidos sobre o tema. Em cada um deles vou abordar um aspecto e tenho certeza que vou deixar de falar um monte de coisa, pois ô assunto que rende. Pois bem, vou dar dicas para tornar as coisas menos difíceis para as mães solteiras que, assim como eu, odeiam essa expressão, mas infelizmente são sempre reconhecidas por ela. Já falei sobre o preconceito no post Olha lá a mãe solteira, porém as próximas linhas serão mais práticas. Quero, de verdade, ajudar com minha experiência as maẽs que passam pela mesma situação. Nesse primeiro post quero falar sobre uma das principais dificuldades: como fazer para ter  um tempo para si mesma. Continuar lendo

Verdade 5 – O padrão de sono do bebê muda o tempo todo

Bebê dormindo

Então. Seu bebê é daquele tipo que dorme super mal, um pouquinho por vez, acorda com o barulho do oxigênio circulando e demora séculos para pegar no sono? Ou, o contrário, é aquele tipo dorminhoco: Toma banho, dorme. Come, dorme. Está brincando, de repente, dorme. Você não entende essas mães que reclamam do sono dos filhos, já que com você é tudo muito simples, seu neném é super de boa, aceita tudo, dorme horas e ainda por cima não acorda facilmente? Tenho um recado para você que é do primeiro tipo. E para você que é do segundo também. Isso tudo vai mudar. Desculpa. Essa é mais uma verdade sobre o sono dos bebês. O padrão de dormidas deles muda o tempo todo.

Continuar lendo

Verdade 4 – A rotina é a melhor amiga do sono do bebê

watches-928965_1920

Demorei, mas voltei. Ser mãe and dona de casa and jornalista home office toma bastante meu tempo. De vez em quando, bate uma exaustão, mas seguimos, pois é vida e ninguém quer ouvir minhas lamúrias, né não?

Hoje vou falar da quarta grande verdade a respeito do sono dos bebês. Sim! Rotina. Como essa danadinha faz diferença na qualidade do soninho deles! Eu sempre li isso, mas praticava mais ou menos, principalmente no começo. Com o tempo fui estabelecendo uma organização e hoje a Valentina já tem horários certinhos (nem sempre) e uma lógica no dia dela. Salvo dias caóticos (acontece nas melhores famílias), tem funcionado e o sono dela melhorou. Continuar lendo