5 dicas para ser uma mãe organizada (mas sem pirar com isso)

Mae-organizada

Existe uma coisa que vai embora quando a mulher se torna mãe. Não. Não é a paz. Também não é o tempo. Muito menos a privacidade. Embora todas essas coisas escorram das mãos maternas logo que o bebê dá o primeiro “ué” de sua vida, o que vai embora com a maternidade é a “organização”. Sabe aquela casa linda, limpa, com tudo no lugar – uma cena que mais parece uma obras de arte e me dá vontade de chorar de emoção quando vejo – essa residência idílica deixa de existir para todo sempre amém. E por que estou falando isso? Para acalentar o coração das minhas companheiras de jornada, e também para dar umas dicas bem espertas para  pelo menos ter o que sobra da organização, ou algo assim. Continuar lendo

Anúncios

Vale a pena ir ao Parque da Mônica? – Minha experiência

Foto com a Monica.JPG

Vamos lá. Falar de Parque da Turma da Mõnica. Eu prometi e estou cumprindo, como sempre. E olha que minha filha, coitada, aguentou meses minha promessa de levá-la nesse passeio. Eu já estava ficando sem jeito. Mas você deve me entender, principalmente se mora em São Paulo. Parque da Mônica custa o preço de uma pequena viagem para o litoral..rs. Caro. Sim. Bem caro. No entanto, antecipo e já dou spoiler de que gostei demais da experiência e você vai entender o por quê agora comigo, nesse lindo post, feito com amor, carinho e alguns mil reais a menos na conta.

Como disse, há muito tempo eu planejava levar a Valentina no Parque da Mônica, porém por ser caro, tive que me organizar bastante para conseguir cumprir o que tinha dito. Além desse fato, ocorreu que na primeira data que eu tinha marcado para levar minha pequena nesse maravilhoso mundo dos gibis, ela adoeceu e depois eu. Então, já viu. Passeio adiado. No entanto, depois tudo deu certo e ela simplesmente amou o dia. Continuar lendo

Parte 3 – Como lidar com o uso de tecnologia na infância

Dicas-tecologia-crianca

Agora, vem a parte 3 da trilogia, a mais esperada, a que vai explicar tudo e resolver todos os conflitos. Brincadeira. É só o último post da série sobre tecnologia, que eu comecei há alguns dias (não fale semanas, que não faz tanto tempo assim). O fato é que já provei (acho) por A + B na parte 1 e 2 dessa série que lidar com a tecnologia na infância carece de boas doses de sabedoria e jogo de cintura. Se não leu, não perca tempo, volta duas casas e lê os dois anteriores. Mas se não quiser, tudo bem, que você é livre para fazer o que quiser.

Abaixo, sem mais delongas, trago hoje algumas dicas tiradas de minha própria experiência, já que sou mãe, e também de tudo que li e vi por aí. São ideias de como lidar com a tecnologia na infância, de modo a usá-la a favor e não contra o bom desenvolvimento dos pequenos. Confere tudo que está coisa boa demais esse post.

Continuar lendo

7 maneiras de melhorar a imunidade das crianças

Aumentar-imunidade-crianca.jpg

Desde que Valentina nasceu, uma das minhas maiores preocupações – além de dar muito amor, carinho, claro – era fazer tudo D-I-R-E-I-T-I-N-H-O, seguir todas as recomendações médicas, as cartilhas da vida e o que meu coração mandar. Minha prioridade sempre foi formar uma pessoa bem amada e também saudável. Pois tinha a impressão que bebê e criança pequena só viviam doente, e eu queria fazer o que fosse necessário para evitar que minha filha passasse por isso (santa ingenuidade). Acontece que alguma coisa eu fiz certo, pois Valentina foi um bebê muito saudável. Fora a dermatite, que desde que eu descobri, aprendi a controlar, o máximo que ela pegava era um resfriado bem discreto.

Acontece que quando ela entrou na escolinha – e eu já contei isso aqui em detalhes – tudo isso mudou. Era um tal de tosse para cá, faz febre para lá, vai no PS, toma antibiótico. Enfim, aquela coisa cansativa e dilacerante que toda mãe que já teve filho doente sabe. Então, é claro que andei pesquisando bastante, principalmente para aumentar a imunidade da minha pequena. Descobri algumas coisas legais que queria dividir. Continuar lendo

Criança precisa de rotina – Saiba por quê

Rotina-criancas

Desde que me tornei mãe, não demorei a perceber o quanto a rotina faz diferença na vidas das crianças. E o quanto a falta dela prejudica – e muito – toda dinâmica familiar. Mas, na realidade, acho que todo ser humano, precisa de alguma espécie de rotina. Sei que soa muito empolgante aquela visão de vida nômade, na qual não se sabe onde estará amanhã, e tudo mais. Mas na vida real, isso é bem pouco prático. Imagine para as crianças! Se existe um conselho que eu posso dar, com segurança, é esse: estabeleça desde cedo uma rotina para seu filho. Você não vai se arrepender. Continuar lendo

5 coisas que ninguém te contou sobre amamentação

Amamentacao.png

Eu sei. O título está meio pretensioso, obviamente que eu não tenho comigo cinco segredos sobre amamentação, nem nada. O que acontece é que há uma desinformação muito grande sobre o tema e eu estou aqui para dar minha singela contribuição, como mãe que amamentou (e amamenta ainda). Na época que eu comecei a amamentar e também um pouco depois li muito material sobre o assunto, que me ajudou, claro, mas o mais útil para mim foi mentalizar uma simples frase “Eu sou capaz de fazer isso funcionar”. E funcionou, e muito bem, obrigada! Por isso compilei cinco coisas das mais importantes que pouca gente fala sobre amamentação. Esse post é dedicado, principalmente, para as gestantes e gente que não sabe nada do tema, mas gosta de dar palpite. Vamos lá! Continuar lendo

Como deixar a casa segura para o bebê?

Como-deixar-casa-segura.jpg

O post de hoje é um pouco diferente. Inédito, eu diria. Algo que não traz questões polêmicas, longe disso. Hoje quero falar sobre segurança. Ou melhor, sobre como deixar a casa segura para o bebê. Sim, é necessário. Todo mundo sabe que crianças são curiosas, gostam de conhecer os ambientes nos seus mínimos detalhes e não tem a menor noção de perigo. Daí, você pode até dizer:

— Ah, mas é só ensinar a criança a não mexer nas coisas. Falar que “não pode” é suficiente, não precisa reformar todo o lar por causa dela. Ela é quem tem que se adaptar, não o contrário.

E eu respondo.

— Para de graça, tá? Evidente que a criança tem que ser orientada, desde sempre, a não mexer nas coisas, etc, etc. Mas você acha mesmo que bebês e crianças pequenas conseguem segurar a onda da curiosidade enorme que existe nelas, apenas por uma questão de obediência? Você quer pagar para ver? Ou considera que é melhor prevenir do que remediar? Continuar lendo

Como fazer seu filho comer bem

Fazer-filho-comer-bem

Talvez eu fale pouco aqui no blog sobre alimentação. Mas é que a minha filha nunca deu trabalho para comer. Verdade. É uma coisa linda de ver. Nunca sofri com isso, mas sei que muitos pais sentem muita dificuldade para fazer o filho comer bem, nem que seja um pouquinho. Eu, evidentemente, não sou nutricionista. Há blogs bem legais que vão falar bem melhor que eu sobre como fazer a criança comer de maneira saudável e tudo mais. Porém sou mãe, tenho já a experiência, a malícia, de quem já passou pelo negócio. Além disso – deixa eu me gabar um pouco – a Valentina não só come bem, ela come DE TUDO.
Continuar lendo

Mãe também é mulher

Mae-mulher

Ah, como mulher sofre! Sim. Sofre. O tempo todo. E por todos os motivos. Não estou falando metaforicamente, estou sendo prática. Desde o momento em que o médico diz, lá no começo, ainda no ultrassom: “É uma menina”, uma vida de desigualdades, dificuldades e TPM se abre em flor para aquele pequeno ser. Você pode estar dizendo:

— Ah, mas homem também sofre! Para com essa história!

E eu respondo:

— Primeiramente, este blog é sobre mães e você, que disse isso, provavelmente é homem, então nem vem, você nem deveria estar aqui, lindo (kkk).

Brincadeira. Homens são bem-vindos.

Nem tanto.

Não tem como negar que mulheres são tratadas de modo diferente e têm uma série de percalços que os homens nem de longe enfrentam. Menstruação? Parto? Salto alto? Cobranças? Julgamentos pelo comprimento da roupa? Salários menores só por causa do gênero? Sim. A lista é longa. E nem é disso que quero falar. Só comecei dizendo isso para contextualizar o post. Que é sobre mulheres. Ou melhor, mulheres que se tornam mães. Ou melhor, mulheres que se tornam mães e parecem que perdem a condição de mulheres.

Enfim, deu para entender. Agora sim, chego ao começo (rs).
Continuar lendo

Desmame natural: a melhor forma de respeitar o tempo da criança

Desmame-natural

Quando eu não era mãe, reinava em mim a ignorância a respeito de tudo que envolvia amamentação. Natural, tendo em vista que eu não tinha interesse no assunto, não perguntava sobre isso, não pesquisava. Tinha colhido meia dúzia de lugares comuns e seguia com eles, firme e forte. Depois que virei mãe, evidentemente, tudo isso mudou. Joguei os lugares comuns na lata do lixo e fui me informar de verdade. Em partes, foi assim que descobri a complexidade da amamentação. Certamente o peso maior foi ser a outra ponta do elo que conectava tão profundamente um bebê a sua mãe. Foi só quando a minha filha olhou nos meus olhos e sorriu com a alma, que eu percebi que amamentação era coisa divina mesmo.

Por isso. Olha eu aqui falando dela de novo. Amamentação. Sim. Defendo e vou defender sempre o direito de uma mãe dar de mamar para seu bebê até a hora que ela quiser. E não digo isso só por que a minha Valentina, hoje com 2 anos e 4 meses, ainda mama, digo isso por que vejo o quanto a sociedade culpabiliza a mãe por tudo: por ela não conseguir dar de mamar, por dar de mamar tempo demais, por dar colo, por trabalhar fora, por não trabalhar fora, e por aí vai. No fim da contas, a mãe se estraçalha de tanta demanda que um filho necessita, e ainda se sente a pior das criaturas quando seu pequeno resolve fazer uma birra no supermercado, ou responde alguém mal, etc, etc.

Como sempre, sigo prolixa. Mas já entendeu pelo título que o assunto de hoje é desmame. E mais do que isso, é saber da importância de respeitar o tempo da criança, como eu canso de dizer aqui, por exemplo, nesse post. Continuar lendo