Desmame natural: a melhor forma de respeitar o tempo da criança

Desmame-natural

Quando eu não era mãe, reinava em mim a ignorância a respeito de tudo que envolvia amamentação. Natural, tendo em vista que eu não tinha interesse no assunto, não perguntava sobre isso, não pesquisava. Tinha colhido meia dúzia de lugares comuns e seguia com eles, firme e forte. Depois que virei mãe, evidentemente, tudo isso mudou. Joguei os lugares comuns na lata do lixo e fui me informar de verdade. Em partes, foi assim que descobri a complexidade da amamentação. Certamente o peso maior foi ser a outra ponta do elo que conectava tão profundamente um bebê a sua mãe. Foi só quando a minha filha olhou nos meus olhos e sorriu com a alma, que eu percebi que amamentação era coisa divina mesmo.

Por isso. Olha eu aqui falando dela de novo. Amamentação. Sim. Defendo e vou defender sempre o direito de uma mãe dar de mamar para seu bebê até a hora que ela quiser. E não digo isso só por que a minha Valentina, hoje com 2 anos e 4 meses, ainda mama, digo isso por que vejo o quanto a sociedade culpabiliza a mãe por tudo: por ela não conseguir dar de mamar, por dar de mamar tempo demais, por dar colo, por trabalhar fora, por não trabalhar fora, e por aí vai. No fim da contas, a mãe se estraçalha de tanta demanda que um filho necessita, e ainda se sente a pior das criaturas quando seu pequeno resolve fazer uma birra no supermercado, ou responde alguém mal, etc, etc.

Como sempre, sigo prolixa. Mas já entendeu pelo título que o assunto de hoje é desmame. E mais do que isso, é saber da importância de respeitar o tempo da criança, como eu canso de dizer aqui, por exemplo, nesse post. Continuar lendo

Dez mitos sobre cuidados com o recém-nascido

recem-nascido

Chegou o dia do post em formato de listinha. Como venho dizendo sempre adoro tudo que vem em formato lista. Leio todas que encontro e faço lista para tudo. Por isso pensei em um tema que tem bastante adequação para esse tipo de post: mitos!

Ah, como eu gosto dessas crendices! Fico encantada quando alguém vem dizer que recém-nascido tem que dormir virado para a posição sudoeste, caso contrário vai ficar com uma verruga no nariz. É tanta coisa que a gente ouve quando está naquela fase complicada do pós-parto, morrendo de medo de não dar conta desse negócio de maternidade, que eu resolvi listar aqui dez mitos sobre cuidados com recém-nascidos. Vale lembrar, o bebê é considerado recém-nascido até os 28 dias. A fase em que o bebê vai dormir, mamar, olhar com aquela carinha de ursinho carinhoso e só. E você vai se desesperar a cada espirro dele. É normal! Acontece nas melhores famílias.

Quer ver o que tem na minha lista? Chega mais! Continuar lendo

Quando o bebê pode começar a comer sozinho (e outras ponderações alimentares)

crianca-comendo

Já vou adiantando: não gosto muito dessa coisa de tabelar as pessoas. Explico. O normal é que a criança ande com 1 ano, fale com 2 e vá morar sozinha com 18. Sim, eu sei. Isso é um padrão. Uma referência para as pessoas se situarem. Mas esse tipo de coisa também ajuda a dar uma pressionada na pobre da criança que com 1 ano ainda não andou e nem falou palavra alguma com 2 e muito menos mudou de casa com 18. No entanto, mães são seres curiosos e comparativos. Muitas vezes queremos saber se “é normal” isso ou aquilo envolvendo nossas crias. Pois bem, hoje talvez tenha sido a primeira vez que a Valentina comeu sozinha (em partes). E fez a tarefa completa, inclusive levando o pratinho dela para eu lavar:) Continuar lendo

Dez dicas para uma introdução alimentar de sucesso

child-1207329_1920

Seu bebê não é tão bebê assim mais, vai começar a comer alimentos sólidos e você está cheia de dúvidas? O post de hoje é todinho para você! Minha filha já caminha para os dois anos e posso dizer que é uma criança que COME DE TUDO. Sério! Até beringela a garota manda ver. Gosta de verduras, legumes, arroz, feijão, frutas, bolacha água e sal, adora tomar água, suco de laranja in natura, já chupou até cana e gostou. Eu credito isso a uma bem-sucedida introdução alimentar e posterior incentivo à alimentação saudável sempre. Tem também o componente sorte, mas acho que isso não é nem 1%. Enfim, tenho orgulho do bom apetite da minha pequena e quero muito que o bebê de vocês coma bem também. Por isso, reuni algumas dicas tiradas da minha experiência e de recomendações de especialistas da área (tem um material legal nesse site aqui). Eu segui TODAS. E estou aqui para dizer que deu muito certo na minha casa.

Quer que seu filho seja assim, bom de garfo? Olha só o que você pode fazer para ajudar.

Continuar lendo

Sobre amamentar em público

mom-1159638_1920

Minha filha tem 1 ano e 7 meses e mama no peito. O que você acha disso? Do fundo do meu coração, espero que ache ótimo, mas aqui vai uma verdade dolorida: quase ninguém acha isso. Sabe como sei? É o olhar que desvia quando conto, é a frase mal construída quando falo a respeito, é a ironia ou brincadeirinha para encobrir a opinião. Pode ser cisma minha? Sim, pode. Mas você acha mesmo que é isso? Continuar lendo

Dar de mamar após 1 ano: não há mal nenhum nisso (na verdade só faz bem)

 

mom-1006326_1920

Amamentar é um processo. Dói. Machuca. Demora. Desgasta. Incomoda. Vaza. Suja a roupa. Emagrece. 

Ninguém nunca me disse isso quando eu estava grávida, nem mesmo nos primeiros meses como mãe de primeira viagem. Mas esqueceram de dizer outras coisas também. Continuar lendo

Seu bebê não precisa de chupeta

Chupeta bebê

Bom. Vou ser polêmica hoje. Vou mexer os conceitos pré-estabelecidos, bater no liquidificador e fazer um suco.

Brincadeira. Pretensão minha.

Mas que o post de hoje é polêmico é.

Viu lá no título? Chupeta. Sim. Vou falar dela. Não esperem piedade da minha pessoa, vou ser cruel, vou ser malvada, vou fazer esse objeto sentir vergonha de existir. Continuar lendo

Mito 5 – Bebê saudável é bebê gordinho!

Bebê boneca - Pixabay

Bebê gordinho. Duas palavras que mais parecem sinônimos e trazem na singeleza aparente uma gama de neuroses maternas (quem nunca?), preconceitos e padrões. Por séculos as pessoas acreditaram que aquele neném gorducho, cheio de dobrinhas era o supra sumo da saúde. Atualmente as coisas estão mudando, no entanto ainda persiste a ideia de que o bebê TEM QUE SER gordinho. Obrigação dele de bebê. Fofurice não é isso, minha gente? Continuar lendo

Mito 4 – Seu bebê deve mamar a cada três horas, viu?

Ursinho relógio PIxabay

Como prometido, esse post será dedicado ao quarto mito envolvendo bebês: amamentação! Ou melhor, a ideia de que dar de mamar é algo que DEVE incluir um relógio: o bebê deve receber leitinho de três em três horas, por cerca de 10 minutos em cada peito. Se ele chorar antes disso ou logo depois não é fome. Deve ser outra coisa: fralda suja, coceira, frio, calor, dor, etc, etc, etc.

Continuar lendo

Mito 3 – O bebê chora sem parar? É cólica, certeza!

 

BB Japa - Pixabay

Minha filha nunca teve cólica. Não sei se por sorte ou por que fiz alguma coisa certa nesse tempo de maternidade, mas o fato é que aquela cena do bebê se esgoelando noite inteira não passou na novela da minha vida. Sim, claro, ela já me acordou umas três vezes chorando sem motivo aparente, mas era sempre por cansaço (quando ela não dormia quase nada de dia). Mas, lembro que, imediatamente, após o nascimento dela fiquei com MUITO medo de que ela tivesse a tal da cólica. Por isso, não queria saber: cortei chocolate, café (que eu AMO, bebo uma garrafa por dia), feijão, industrializados, leite (mas não de todo) e fui ser feliz selecionando tudo o que eu comia.

Continuar lendo