Como deixar a casa segura para o bebê?

Como-deixar-casa-segura.jpg

O post de hoje é um pouco diferente. Inédito, eu diria. Algo que não traz questões polêmicas, longe disso. Hoje quero falar sobre segurança. Ou melhor, sobre como deixar a casa segura para o bebê. Sim, é necessário. Todo mundo sabe que crianças são curiosas, gostam de conhecer os ambientes nos seus mínimos detalhes e não tem a menor noção de perigo. Daí, você pode até dizer:

— Ah, mas é só ensinar a criança a não mexer nas coisas. Falar que “não pode” é suficiente, não precisa reformar todo o lar por causa dela. Ela é quem tem que se adaptar, não o contrário.

E eu respondo.

— Para de graça, tá? Evidente que a criança tem que ser orientada, desde sempre, a não mexer nas coisas, etc, etc. Mas você acha mesmo que bebês e crianças pequenas conseguem segurar a onda da curiosidade enorme que existe nelas, apenas por uma questão de obediência? Você quer pagar para ver? Ou considera que é melhor prevenir do que remediar?

Se você considera, como eu, que prevenir nunca é demais, então siga aqui comigo, que eu tenho uma meia dúzia de coisas para falar sobre o assunto. Eu, particularmente, fiz tudo que estava ao meu alcance para deixar a minha casa “à prova de criança”: coloquei portões nas escadas, protetores de quina, travas, tapetes de EVA nos degraus, protetores de tomada e por aí vai. Também tirei tudo que era objeto pequeno, de vidro, medicamento, produto de limpeza, e tantas outras coisas mais do alcance das mãos gordinhas de minha pequena.

Hoje, que a Valentina tem quase três anos, já consigo trocar uma boa ideia com ela a respeito dos perigos, mas continuo me precavendo em muitas coisas. E recomendo que você adapte sim sua casa a seu filho pequeno para que não faça parte das tristes estatísticas de acidentes domésticos, que são assustadoras.

Quer um número? Então toma:

Todo dia o Brasil perde 14 crianças em decorrência de acidentes, e boa parte deles acontece em casa. Mais de 11 mil internações ocorrem por causa de acidentes domésticos, segundo dados (2015) do Ministério da Saúde.

As dicas abaixo são meio óbvias, mas essenciais. Olha só:

–  Não deixe nenhum objeto pequeno ao alcance das crianças – Principalmente dos bebezitos. Gente, eles colocam tudo na boca. Tudo mesmo! E no começo são muito rápidos em descobrir o botão, a moeda, o parafuso, muito antes dos pais sequer notarem. Por isso retire tudo que for pequeno do alcance do bebê. Tudo mesmo.

 – Não lote o berço de centenas de coisas inúteis – Não há necessidade, eu já até falei isso no post sobre itens de enxoval que não vale a pena comprar. Aquele medonho kit berço, além de caro e brega, é também um risco para bebês muito pequenos. O risco, no caso, é de asfixia. Isso é muito sério. Aquelas almofadas hiper fofas, ursinhos, etc, nada disso deve ser colocado no berço. 

– Muita atenção com objetos aparentemente inofensivos, mas muito perigosos – É o caso dos colares, cordões, sacolas e até bexigas de festa. Tudo isso é um risco para a criança, pois ela pode enrolar esses objetos no pescoço (no caso dos cordões e colares) e colocar na boca (sacolas e bexigas).

– Monitore os brinquedos – Não estou dizendo para ficar vistoriando diariamente os ursinhos de pelúcia em busca de potenciais perigos. O negócio é ficar de olho nos brinquedos indicados para cada faixa etária, aprovados pelo Inmetro e que não tenham danos, como partes soltas ou elétricas.

– Coloque portões de segurança nas escadas e grade de proteção nas janelas e varandas – O risco aqui, evidentemente, é a queda, que pode ser muito grave, e até fatal. Quantas notícias já não vimos de crianças que caíram de prédio, de escada, da laje, enfim. Não dá para negligenciar uma coisa séria dessa.

 – Espalhe protetores e travas pela casa – Armários e gavetas que guardem utensílios como facas e tesouras, medicamentos e produtos de limpeza devem ter travas de segurança para evitar que os pequenos abram e queiram conferir o que tem dentro. Se não for viável colocar travas, então tire do alcance. Deixe em um lugar muito alto e de difícil acesso. Já no caso dos protetores, vale colocar nas tomadas e nas quinas mais perigosas, por exemplo. Se tiver escadas em casa e puder colocar protetores nos degraus, melhor ainda.

– Atenção à cozinha, principalmente durante a hora de cozinhar – Todo mundo sabe que cozinha é um ambiente divino, pois é lá que fica a comida, mas muito perigoso para as crianças. Os perigos são tantos, que seu eu fosse citar, ia ter que fazer mais um post. No entanto, acredito que o essencial é prestar bastante atenção ao fogão na hora de cozinhar algo, e sempre usar as bocas de trás do fogão e deixar os cabos das panelas virados para dentro para evitar que a criança tente puxá-los. Se puder investir um pouco mais, coloque protetores no fogão também. Sim, eles existem (olha aqui no link um exemplo), e podem salvar vidas. 

 

Evidentemente, há mais dicas de como deixar a casa segura para as crianças, mas acredito que essas sejam as mais importantes. Quem quiser saber mais sobre o assunto pode entrar no site da ONG Criança Segura, que tem MUITA coisa sobre o tema, inclusive dados, orientações e outras coisas. Eu vou ficando por aqui, mas volto, como sempre. 

Bjs,

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s