Entenda por que crianças pequenas acordam à noite

Sono crianca

O sono é um tema que sempre aparece quando se trata de maternidade. Todo mundo sabe que mãe não dorme, que a gente faz de conta muito bem, mas não dorme. Enfim, eu como representante da categoria também sei que meu sono não é a sétima maravilha do mundo, e isso por um motivo muito simples: até hoje a minha filha acorda à noite, pelo menos uma vez. São raras (ah, e como são raras) as noites em que ela segue linda e dorminhoca um sono de noite inteira. Conto nos dedos e dá vontade de chorar. Mas não me desespero. Sei que esse dia há de chegar, e por isso andei pesquisando sobre o sono das crianças pequenas, pois sono de bebê já falei um montão aqui, por exemplo nessa série de posts.

Pois bem, existem inúmeros motivos que levam uma criança pequena, como a Valentina, que agora está com dois anos e cinco meses, a ter um sono mais agitado. Vou listar abaixo (já que sou boazinha) os principais. E ainda oferecer de bônus as explicações da querida Laura Gutman, que sabe tudo de maternidade, sobre o sono das crianças após os dois anos. Enfim, fique aqui comigo, que esse tema dá bastante pano para manga.

Antes de mais nada, peraí, vou explicar um negócio: o sono dos bebês e crianças pequenas não é igual dos adultos. Eles passam muito mais tempo naquela fase do sono leve e por isso tendem a despertar mais a noite mesmo. Somente por volta dos quatro anos é que o dormir fica parecido com o dos adultos. Feito esse adendo, vamos aos motivos que fazem uma criança pequena acordar à noite:

 

1 – Vícios de sono – Não gosto muito de usar a palavra “vício” para se referir a coisas boas, mas tudo bem, é para fins de clareza que deixo essa expressão aqui. O que acontece é que, muitas vezes, nós acostumamos os nossos filhos a dormirem de determinado jeito, desde quando eram bebês. Esses hábitos são, principalmente, dar de mamar de madrugada e ninar para que o pequeno volte a dormir. No começo, é normal que os nenéns acordem mesmo à noite para mamar, e aí de você se negar o peito para ele: não faça isso, por favor, bebês precisam dessa mamada noturna (depois falo mais disso, em outro post). Acontece que uma criança da idade da Valentina, por exemplo, não deveria precisar acordar para mamar, certo?

 

red-31226_1280

Errado!!!!!!!!

 

Esse é o principal motivo que faz minha filha acordar, eu acredito. Ela desperta, mama menos de cinco minutos, e dorme. Daí você que está lendo isso, pode constatar que eu a “viciei” nessa forma de voltar a dormir. Pois talvez você esteja certa. E eu assumo minha mea-culpa, por que nunca nem cogitei não dar mamar para ela, quando ela acorda à noite pedindo por isso.

Os especialistas sempre recomendam que a gente tente, quando o bebê adquire certa maturidade neurológica, fazê-lo adormecer sozinho justamente para evitar que ele utilize essas “muletas” para pegar no sono. Ora, se toda vez que ele acordar, só conseguir voltar a dormir se você o ninar, por exemplo, ele, evidentemente, vai demorar mais para “aprender” a adormecer naturalmente, sem ajuda. É isso.

2 – Falta de rotina consistente – Um dia, a criança vai dormir às 21h. No outro, meia noite, e no outro, 22h. Tudo de uma forma meio jogada, assim: ela vai ficando com muito sono e você a coloca para dormir, sem pensar muito nessa coisa de horário, e sem fazer nenhum tipo de ritual, como ler historinhas, dar banho ou cantar. Enfim. Essa falta de consistência no dia a dia é um inimigo do bom sono infantil. Crianças precisam de rotina, pois se sentem mais seguras, ao saber que existe essa repetição no dia a dia delas. Todo mundo sabe que nosso cérebro, naturalmente, é um desesperado por sentir-se seguro. E isso vem desde sempre. Desde criancinhas.

Por isso, é essencial que a criança tenha horário para dormir e saiba quando esse grande momento está chegando, por meio de atividades leves, que têm o objetivo de ir desacelerando-as. É essencial. Faz uma diferença enorme. Tudo mudou no sono da Valentina quando eu passei a adotar o horário direitinho e o ritual. Hoje, salvo os dias que ela tira uma soneca à tarde, ela sempre dorme, no máximo, às 20h. E dorme super fácil. Sem dar trabalho nenhum. É uma dádiva de Deus. Experimente a rotina. Você não vai se arrepender.

3 – Falta de sonecas – Crianças pequenas precisam dormir um pouco à tarde, tirar uma soneca. Isso ajuda na chamada “higiene do sono”. É útil para evitar que elas cheguem à noite, super estimuladas, cansadas e exaustas. Ao contrário do que prega algumas pessoas, chegar no ponto de estar morrendo de sono não é bom para os pequenos, eles dormem muito pior, não descansam direito e tendem a acordar mais à noite.

Existe um período que as crianças pequenas conseguem ficar acordadas e bem dispostas, no caso da Valentina, sei que depois de umas sete horas desperta, ela começa a ficar bem cansada e chatinha. Até uns três, quatro anos, essa soneca diurna só faz bem para elas e deve ser estimulada.

 

4 – Medo/Pesadelos – Conforme a criança vai adquirindo uma expertise na linguagem, vai entendendo, mais ou menos, como funciona o mundo, ela passa também a sentir medo. E esses medos podem resultar em “dar trabalho para a mãe na hora de dormir”. Não menospreze, jamais, o medo da criança. Lembre-se de que ela ainda tem uma mente de criança, sem discernimento ainda para separar  imaginação de realidade.

Esse temor pode atrapalhar a hora do sono. Por isso tente sempre conversar com a criança para entender o medo dela e tranquilizá-la. Muitas vezes, ficar por perto até ela adormecer ou dar um objeto que ela goste para ajudá-la a dormir são bastante úteis.

Além disso, caso a criança tenha pesadelos, ela vai acordar à noite, assustada, evidentemente, e talvez não queira dormir tão cedo. Daí também é conversa e esperar. Fazer o quê?

Mae cansada

 

5 – Problemas de saúde – Bastou uma gripe para o sono ir parar lá na Cochinchina. Qualquer doença afeta o sono da criança, e aí não há muito o que fazer, a não ser tratar direitinho o problema e esperar passar. Além dessas enfermidades comuns, é possível sim que a criança sofra de algum distúrbio de sono, mas, normalmente, isso é exceção. Existem vários deles, olha só: apneia, sonambulismo, ronco, pernas inquietas, terror noturno (já falei dele aqui), bruxismo, e outras. Caso o sono do seu filho seja muito agitado e você não encontre nenhum motivo para isso, talvez ele possa ter algum probleminha de saúde. Vale investigar sempre.

……………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………………

(Pulei linha. Igual na escola. Olha que legal!)

Essas são as principais causas, mas eu gosto muito de “explicar” a criança, de modo emocional, sabe? Por isso adoro a Laurinha (Laura Gutman para quem não é íntimo…rsrs). Ela tem explicações bem interessantes sobre os despertares noturnos de crianças com mais de 2 anos. São três os principais:

1 – A criança que solicita o tempo que NÃO teve com a mãe durante o dia – Muitas vezes, as mães, mesmo que passem bastante tempo em casa, não conseguem dar a devida atenção para a criança. Os afazeres domésticos e o tantão de coisas que precisamos fazer no dia, acabam por sufocar esse momento, que deveria sempre existir entre mãe e filho. A Laura Gutman fala uma coisa bem legal, que acredito muito. As crianças passam muito tempo esperando pelos pais. Esperando que eles tenham tempo para ela. E como disse no post sobre a importância de ter tempo para os filhos, parar e olhar a criança não é simplesmente trocar fralda, dar comida, etc. É brincar, conversar, ou somente ficar perto, à disposição.

Quando a criança não tem isso da mãe durante o dia, ela pode “cobrar” esse tempo que não chegou no período noturno, que é ainda mais propício, pois a mãe, nesse caso, é toda dela. E a noite é um momento absolutamente tranquilo, que estimula esse contato mais profundo entre os dois. Por isso, vale avaliar: você está dando tempo suficiente para seu filho ter a mãe dele perto, de verdade?

2 – A criança que “interrompe” o momento de intimidade entre os pais – Não tem muito como negar que para muitos pais é o período noturno o único tranquilo o suficiente para que ambos tenham aquele chamego juntinhos. Pois bem, só que, segundo Laura, pode acontecer de essa mãe não estar em sintonia com a própria sexualidade, principalmente, porque muita coisa muda, depois da maternidade. E pode recorrer inconscientemente à criança, como forma de salvá-la desse momento com o companheiro. Veja bem, esse apelo é inconsciente, por isso tão difícil de aceitar. Mas pode ser uma explicação para esses despertares.

 

feet-2308646_1920

No aguardo, amor!!

 

Nesse caso, a criança vira uma válvula de escape para que a mãe não precise fazer essa busca interna sobre as próprias necessidades, e ainda evita que ela precise conversar com o marido sobre o assunto, provocando assim um abismo entre os dois, que nunca será devidamente resolvido, enquanto ambos não entenderem qual é o real problema.

 

3 – A criança não quer que a mãe se sinta sozinha – Acordar à noite pode ser ainda uma forma da criança mostrar para a mãe que está com ela sempre. Laura Gutman fala bastante a respeito da “fusão” emocional que acontece entre mãe e filho. Ambos sentem na mesma frequência. O bebê, muitas vezes, apenas reflete a alma da mãe, já que sente tudo o que ela sente (já falei disso também aqui). Nesse sentido, a criança pode sentir essa solidão da mãe, esse medo de ficar sozinha, e atender esse apelo do coração, despertando.

Muitas vezes, mães que criam os filhos sozinhas, como essa que vos fala, sentem mesmo essa solidão e isso é natural. O que importa é saber que ela existe e lidar com ela, da melhor forma.

Bom, dei aqui as pistas que podem te ajudar a entender por que seu filho está acordando tanto à noite, já que ele não é mais um bebezinho e deveria estar dormindo noite inteira (já pensei isso tantas vezes. Lágrimas). Termino esse post com aquele mantra lindo da maternidade que diz que uma hora essa fase das interrupções de sono também vai passar e vamos até sentir saudades (Será? Da falta de sono? Acho que não!). Enfim, desejo melhores noites de sono para você. Continuamos na luta. Bjs.

FONTES PESQUISADAS:

http://radardaprimeirainfancia.org.br/por-onde-comecar/sono-primeira-infancia/

https://brasil.babycenter.com/a3400242/o-que-fazer-quando-a-crian%C3%A7a-acorda-%C3%A0-noite

http://revistacrescer.globo.com/Criancas/Desenvolvimento/noticia/2013/02/o-medo-das-criancas-de-acordo-com-idade.html

http://vejasp.abril.com.br/cidades/criancas-disturbios-do-sono/

A Maternidade e o Encontro com a própria Sombra, de Laura Gutman, editora Best-Seller, 2015

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s