Por que é tão difícil ser mãe solteira?

Mae solteira

Vou falar uma frase no passado: eu nunca me imaginei na situação que estou hoje. Na minha cabeça adolescente (que durou até uns vinte e oito anos..haha), eu teria primeiro uma carreira de sucesso, depois conheceria o amor da minha vida e depois teria filhos, nessa ordem. Não acreditava que uma mudança na posição dos acontecimentos poderia me fazer feliz, porque não era meu ideal de vida.

Acontece que hoje sou uma mãe solo, estou longe de ter uma carreira de sucesso e casamento é algo que nem passa pela minha cabeça mais. Apesar de parecer estranho, olha só, eu sou bem feliz, TODOS OS DIAS. Sinto-me em paz com minha vida e com quem eu sou. Sinto-me amada e amo as pessoas. Valorizo sentimentos, não coisas. Consigo todo dia me sentir como na infância, pois tem uma pequenininha correndo pela casa e me ensinando. Esse é o meu cenário, mas não estou dizendo que as coisas são fáceis. Na verdade, as coisas são bem difíceis e vou explicar por quê.

Mães solteiras enfrentam preconceito o tempo todo, porque ousaram ter filhos, sem um casamento que justificasse a existência da criança. Nesse caso, todo mundo coloca mulheres que estão nessa posição como se fossem todas iguais, e aí, haja rótulo! Nem cabe aqui repetir os impropérios que a sociedade machista ainda impõe as mães que criam filhos sozinhas. Mas vale apanhar do marido calada, ou então aceitar as inúmeras traições de um casamento de faz de conta, ou então engolir o choro por ser maltratada todos os dias por um homem que não sabe dar valor. Ora, pelo menos está casada, certo?

Não é fácil ser mãe solteira, porque as pessoas te reduzem a pouco todos os dias, julgam quem você é, mesmo sem ter trocado uma mísera frase com você. Além disso, sempre te tratam como uma coitadinha abandonada ou como uma espertalhona qualquer. Não tem espaço, no carrossel de preconceitos, para entender que aquela criança pode ter sido fruto de um amor de anos, de uma relação que não deu certo – como tantas outras mundo afora -, que aquela mãe se doa completamente todos os dias, se parte em mil, deixa até de existir como indivíduo para que o filho cresça com dignidade e seja uma boa pessoa.

Ninguém pensa que do outro lado tem o tal do pai solteiro – que é isso? – que segue vivendo a vida igual sempre viveu, esquecendo nos porões da memória que tem um filho à espera dele. A errada dessa história é a mulher, o homem nunca é julgado  com tanta crueldade assim.

É difícil ser mãe solteira, porque a mulher também precisa trabalhar, pagar as contas, cuidar das tarefas domésticas, escovar os dentes, dormir, vez ou outra. É difícil porque falta espaço na agenda do tempo para tantas coisas juntas que precisam ser feitas para que a criança siga crescendo saudável, cuidada, feliz; para que a casa fique organizada, para que as tarefas sejam entregues para o chefe no prazo certo, para que o dente não acumule tártaro e cárie por falta de escovação.

É difícil ser mãe solteira, porque a mulher não consegue parar um minuto para curtir um momento só dela, porque as necessidades da criança sempre vem em primeiro lugar, obviamente. Para dar conta de assistir um seriado ou ler o capítulo de um livro, que seja, é necessário planejar e virar a agenda de ponta cabeça, caso contrário, esquece, mais um dia que não deu para fazer algo para si mesma.

É difícil ser mãe solteira, porque sempre tem aquela presença ausência da figura paterna na vida da criança. A mulher precisa dar conta de ser o mar em que o filho vai desaguar as lágrimas de incompreensão por que o pai não o ama ou demora tanto a vir vê-lo (quando vem). A mãe que cria o filho sozinha precisa contar sempre com uma boa dose de diplomacia para conseguir ser cortês com o cara que parte o coração do seu filho todos os dias. Há também as situações em que a mulher precisa ter um enorme jogo cintura, porque o fulano ainda não entendeu que não tem um “nós”, que ele deixou de existir para ela, que ele só precisa e deve se preocupar com a criança. Tem homem que quase deita no chão e abre o berreiro quando percebe que a ex seguiu em frente e só quer mesmo a velha e boa cordialidade que o fato de ter filhos juntos obriga a ter.

É difícil ser mãe solteira, porque ela está lá o dia todo dando conta de tudo sozinha e ainda assim tem que aceitar os palpites que a família resolver dar, isso quando não é o tal do pai que resolve abrir a boca e criticar tudo o que ela faz. Ah, como é difícil ser mãe solteira e agir como uma santa pensando na morte da bezerra todas as vezes em que ela é obrigada a ouvir as “sabedorias” do pai que nunca aparece!

É difícil ser mãe solteira, porque tem uma hora que parece que a mulher não vai dar conta, que vai desconjuntar, desequilibrar, desfalecer diante de tanta pressão para que ela seja perfeita em tudo que faz e que nunca reclame. É difícil também não ter com quem compartilhar as maravilhas que ela vê todo dia pelas lentes de uma criança, ou ter alguém para deitar a cabeça no ombro e dizer “estou cansada, posso dormir um pouquinho ali na cama, você olha ela para mim?”. É difícil passar a vida toda nessa tarefa de mãe 24h, sem ouvir um elogio, uma palavra de incentivo a respeito do bom trabalho que ela anda fazendo.

Ah. Como são tantas as reclamações! Que vida triste, certo?

Errado. Nossa vida só é triste se a gente assim a enxergar. Quem disse que felicidade tem roteiro? Pois se tiver estou escrevendo um alternativo por aqui que também mandará muito bem nessa coisa de felicidade. Chama-se “Minha vida é muito boa e eu gosto muito dela”. Eu pontuei todas essas coisas porque, vez ou outra, ouço por aí comentários sobre minha classe de mães solteiras e fico sempre indignada com os absurdos que escuto. Por isso, você que me lê, entenda: esse não é um texto cheio de reclamações ou que tem o objetivo implícito de fazer toda mãe solteira de vítima. O que almejo é o contrário – mostrar que a vida de todo mundo pode ser bastante difícil se a gente a encarar dessa forma.

Pensa que fico matutando a respeito dessas “dificuldades” no meu dia a dia? Claro que não. Prefiro aproveitar o tempo que a vida me dá para ser bem feliz com quem sou e com as pessoas que amo.  E desejo a todas aquelas que estão na mesma situação essa mesma clareza de que não existe fórmula mágica no nosso modo de viver, o que a gente tem que aprender é a olhar com mais amor. Só isso. Eu estou conseguindo. Espero que você consiga também.

Anúncios

4 comentários sobre “Por que é tão difícil ser mãe solteira?

  1. mundodepalavras disse:

    Oi Cintia! Me solidarizo com você apesar de não ser mãe solo. Mesmo com a ajuda integral do meu marido eu me pego imagino como seria difícil sem ele. A figura paterna é mesmo um referencial para a criança e suprir essa ausência é uma missão muito difícil. Tenho amigas que criam, educam e vivem a maternidade sozinhas e sinto muito orgulho delas. Para mim, são mulheres de muita fibra! Desejo força e coragem pra você prosseguir. Apenas continue oferecendo o seu melhor, e Deus vai te capacitando um dia após o outro. Tenho certeza que apesar de todas essas dificuldades que você citou no seu post, você está fazendo um bom trabalho e cumprindo a sua missão! bjs Camila Vaz

    Curtido por 1 pessoa

    • Cíntia Ferreira disse:

      Obrigada pelas palavras, Camila. Realmente essa parte de ter que lidar com a ausência paterna é a pior de todas. Isso por que eu bem sei a importância de um pai. Tenho um pai ótimo, exemplar, que fez toda diferença na minha vida. Queria muito que a minha filha tivesse isso também, mas é a história dela e algumas coisas fogem do nosso controle. No mais, o que importa é que ela tem muito amor de muita gente e eu sinto mesmo que estou fazendo o meu melhor. Fora que sou felizona, mesmo com todos esses obstáculos. Bjs.

      Curtido por 1 pessoa

  2. Isabela disse:

    Oi Cíntia! Sei q tenho q aprender muito nessa minha vida e ainda mais agora como mãe de primeira viagem… Mas essas coisas de passar dificuldades de ser mãe solteira me fez tornar uma pessoa mais forte mas menos dependente de pessoas e isso me traz um vazio muito grande dentro de mim… Sei q tenho q seguir minha vida despreocupada com essas dificuldades de mãe solteira mas, quando penso no melhor pra minha filha… Choro por não poder dar o q ela poderia ser mais feliz… Um convívio social com mais respeito e carinho… obrigada por ouvir sempre os meus desabafos… E sempre buscar os melhores conselhos pra cuidar melhor da vida q Deus nos depósitou, nossos filhos…

    Curtido por 1 pessoa

    • Cíntia Ferreira disse:

      Você tem o que ela precisa sim: amor. Entendo o que você quer dizer, sempre queremos dar mais e mais para nossos filhos, mas somos humanos, e não podemos tudo. Esse vazio que você sente é normal, também me sinto assim às vezes. Mas o negócio é estar em paz com nossa história e tentar sempre melhorar como pessoa, aprender com a vida. As coisas nunca são fáceis mesmo, mas a gente dá nosso jeito e tudo fica bem. Sua filha vai te agradecer muito por toda essa dedicação e amor.

      Curtir

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s