A herança genética determina a nossa personalidade?

Heranca genetica

O ser humano é um caos. Do momento do nascimento até o dia da morte (meio mórbido, mas necessário), passamos a maior parte do tempo sem entender absolutamente nada sobre nós mesmos e sobre o mundo. Comecei filosófica? Sim, muito. Mas para o post de hoje é necessário. Dia desses, após um comportamento esquisito da Valentina, comecei a questionar em qual medida a herança genética influencia nossa personalidade. Digo isso, pois me deu certo medo. Não por mim, pois sou perfeita (hahaha), mas pela outra parte. Não vou entrar em detalhes para não enfrentar processos jurídicos, mas quem acompanha esse blog sabe que cuido da Valentina sozinha da Silva. É só ligar A + B para saber que quando existe uma mulher cuidando de uma criança totalmente sozinha, tem um “cidadão” do outro lado que não está fazendo a parte dele.

Pois bem, prossigo. Essa minha dúvida deu origem a esse post. Quero falar hoje sobre a influência dos genes na formação da personalidade de uma pessoa. Quero esmiuçar se uma criança que tem um progenitor tão “imaginativo” quanto o Pinóquio vai reproduzir o comportamento questionável durante a vida por causa da herança genética.

Bom, ao que parece o gene pode até influenciar na personalidade, mas não na proporção que disse acima. O componente genético na verdade traz algumas tendências, como ser impulsivo, mas esse traço de personalidade só vai acontecer mesmo se existirem outros muitos fatores interligados. É como um bolo. Para que o bolo vire bolo precisa de farinha, ovos, etc, etc. Com as pessoas a mesma coisa, cada um de nós é um bolinho lindo e cada um dos ingredientes é um fator determinante do tipo de bolo que seremos. Um ingrediente só não faz bolo nenhum. Alguns componentes influenciam mais no sabor, outros menos, mas todos são importantes.

Nossa! Arrasei nessa metáfora!

dessert-1926923_1920

Eu, por exemplo, sou como esse bolo. Bem caprichado!

Prosseguindo…

Há estudos e mais estudos a respeito. Um dos pesquisadores do assunto, Matt Ridley, autor do livro “O que nos faz Humanos”, diz, por exemplo, que “Os genes não restringem a liberdade humana – eles a possibilitam”. Eles não são um destino, não são determinantes. Tudo vai depender de muitos outros fatores como o ambiente em que a pessoa está inserida, a educação que recebeu dos pais, os amigos que teve durante a vida e por aí vai.

Eu, particularmente, acredito muito que a principal influência no caráter das pessoas vem mesmo dos pais. E não estou falando apenas daquela falação que muita gente chama de educação, estou falando de afeto, de exemplo, de diálogo. Estou lendo um livro agora bem legal que chama “A Ciência dos Bebês”, no qual o autor fala sobre o assunto também. Ele diz que a forma com as mães e pais demonstram e lidam com suas emoções e como respondem as emoções dos filhos mostram como essas crianças devem agir no mundo.

Crianças que sentem rejeição dos pais ou que sofrem violências das mais variadas em casa, na maioria dos casos, vão demonstrar no futuro uma inclinação negativa no modo como vêem e lidam com as outras pessoas. Evidentemente, nada é tão simples, mas pais que enxergam na criação dos filhos um dever moral não somente com os próprios filhos, mas com a sociedade, que estão abertos a exercer a empatia e a amar seus pequenos como eles merecem têm mais chances de criar pessoas boas. Essa é minha opinião.

Acredito que o essencial é tentar fazer um bom trabalho a respeito do que está no nosso controle, como a educação e o amor que damos a eles; prestando atenção nas amizades que eles fazem (importantíssimo, pois com o passar do tempo os amigos são extremamente influentes na vida das nossas crianças) e procurando dar meios para eles desenvolverem-se, de modo a serem autênticos e seguros de si.

Depois de ler a respeito dessa questão do gene fiquei mais aliviada (kkk), mas sei que a herança genética tem sim uma importância nessa equação.  Ainda bem que não é essencial, caso contrário coitadinha da Valentina! Uma mãe tão boa e um gene tão ruim. Desculpa. Desabafo na hora errada. Acontece.

Ah, tem uma matéria bem legal na Super Interessante abordando o tema. O link é esse aqui.

Até o próximo post! Bjs.

FONTES:

https://br.guiainfantil.com/materias/educacao/comportamentocomo-se-forma-a-personalidade-da-crianca/

https://drauziovarella.com.br/drauzio/genetica-e-comportamento-social/

http://revistacrescer.globo.com/Os-primeiros-1000-dias-do-seu-filho/noticia/2014/11/ate-que-ponto-genetica-determina-personalidade-do-seu-filho.html

http://super.abril.com.br/comportamento/o-que-faz-de-voce-voce/

 

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s