Ser mãe em tempo integral é…

family-1784371_1920

Eu precisava de um post que começasse com reticências, é lindo, é digno, é misterioso. Há muito vinha pensando nessa ideia de falar sobre mães que cuidam dos filhos 24h por dia, sete dias por semana, sem folga, sem férias, sem pausa para almoço.

Venho pensando muito nelas, pois sua uma delas atualmente. Desde setembro sem trabalhar, só ficando em casa com minha pequena, sei bem a sensação de ser mãe full time. E vou dizer uma coisa: mais um pouco e enlouqueço…rsrs

Não é fácil ser a pessoa que está sempre cuidando do outro, quase nunca de si mesmo. É muito complicado ser responsável não só por toda parte de cuidado, mas de educar, de orientar, de entreter e por aí vai. 

Sei que às vezes parece que estou sempre dizendo a mesma coisa, mas faz parte da comunicação essa coisa de ser meio repetitivo: queremos mesmo que a mensagem chegue linda e loura e perfeita, sem ruídos. Já tinha dito sim no post Quem cuida da mãe e no outro sobre como Mães cansadas não são boas mães, mas não toquei exatamente nesse ponto de ser mãe em tempo integral. 

Acredito, de verdade, que todo mundo precisa parar, respirar e “esquecer” um pouco a maternidade de vez em quando. Não me entenda mal, não estou dizendo para deixar o filho no ponto de ônibus e sair correndo, estou apenas falando que ser mãe exaure a gente. O gasto energético e emocional de ter um pequeno ser ao seu lado o tempo todo, pedindo sua atenção, seu amor, sua disposição é extenuante.

Mae o tempo todo

Ela não sabe o que a espera…

Todo mundo precisa de um momento para si. Todo mundo precisa trancar a porta do quarto e ficar quietinho pensando na vida. Ou tomar um banho, fazer as unhas, cuidar do cabelo. Ou sair sem eira, nem beira, com a falsa sensação de que é livre para ser o que quiser. Mães dificilmente têm essas coisas, quando tentam dá dois minutos e entra em cena o som de uma criança chorando no quarto. Mães dificilmente têm tempo para concentrar-se em outra coisa, que não o que o filho está fazendo, o que precisa comer, se está bem agasalhado e por aí vai.

No entanto, quando essa mãe sai para fazer qualquer coisa, principalmente para trabalhar fora, entra em cena a mulher que não tem uma criança pendurada o tempo todo no corpo. Aí sim ela consegue parar e respirar, mesmo que pareça que ela está apenas exercendo seu cargo, pode acreditar, ela está curtindo bastante o fato de ser apenas um indivíduo. 

Eu defendo mesmo que mães façam outra coisa que não envolva cuidar dos filhos e da casa. É essencial essa “separação”. A mulher descansa da tarefa e a exerce com mais calma, com mais sabedoria. Digo isso por experiência própria. Não estou dizendo que toda mulher precisa trabalhar fora e que é errado ficar em casa cuidando dos filhos o tempo todo. Estou dizendo que mães em tempo integral também precisam “deixar de ser mães” de vez em quando. Mesmo que seja indo passear com as amigas ou fazendo uma caminhada solitária pela manhã. 

Mães são pessoas. E todas as pessoas precisam de si mesmas para viver. 

Acho que resumi bem o que quis dizer. 

De vez em quando consigo. 

 

 

Anúncios

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s