Itens de enxoval que NÃO vale a pena comprar

baby-1296409_1280

Hoje é dia de falar com as gravidinhas. Desculpem o lapso, esta mãe que vos fala ainda não inseriu muitos temas para as gestantes, especificamente, mas vou falar mais a respeito. Prometo! Pensando com os meus botões sobre um tema mais prático, que poderia ajudar as quase mães (??) no momento da chegada do bebê, lembrei da época que eu estava perdidona sem saber o que precisa comprar no enxoval, etc.

Por isso, o post de hoje é uma singela listinha com os itens que eu acho que NÃO vale a pena comprar ou que devem ser comprados com bastante parcimônia. No entanto, vale lembrar: estou falando da minha experiência pessoal, talvez alguma mãe discorde, enfim, mas, acredito que vale a dica. Eu lá nos meus idos de grávida, adoraria ler um relato materno a respeito para saber onde dá para economizar (gasta muito, gente, esse negócio de ter filho…rs).

Eis aqui a minha listinha:

Saída de  maternidade: Quem inventou era um capitalista muito do selvagem. Como pode um conjuntinho com mantinha custar 400, 500 reais? Não faz parte do razoável, minha gente? Faz sabe o quê? Compra uma roupinha  mais bonitinha para o bebê sair da maternidade, mas não compre nada que diga que o objetivo é esse. Encarece tudo! Compra o conjunto à parte e a mantinha também. Vai economizar muito e me agradecer depois. A título de curiosidade: Valentina nasceu no calorão e saiu só de body.

Macacão com pezinho/calça com pezinho: Claro que tem que comprar. É prático. Os pés do bebê ficam quentinhos. Fora a graça que é ver aqueles pezinhos com essas roupinhas. Mas comprem POUCO. Rapidinho vai deixar de servir. Hoje em dia já vendem aqueles macacões com pezinho reversível. Acho interessante comprar desses. No entanto, os que comprei nesse estilo foram usados sem pezinho, pois com pezinho ficava hiper estranho. Acho que nesse sentido, vale muito mais comprar macacões/calças sem o tal do pezinho e rechear a gaveta de meias. Eu comprei algumas, mas foi pouco para o tanto que usei. Até hoje tenho que ficar comprando meias. Bebês usam MUITO. Mas macacões de pezinho eles não usam por muito tempo. Não invista  milhões de dólares nisso.

Camisetinhas – De novo. Fica lindinho. Mas camisetas não são nada práticas. Desde que me tornei mãe notei que bebês são seres que exigem praticidade. Body é a melhor invenção da face da Terra. Você coloca no pequeno e não sai do lugar. Já as camisetinhas…colocou e pegou o bebê no colo, a camiseta já vai parar na testa do bebê. Daí fica aquela imagem singela do bebê barriga de fora, umbigo aparecendo para todo mundo ver. Camisetas só compensam, se forem usadas por cima do body. Daí entra o dilema: vai gastar com body and camiseta, quando só necessita gastar com body? Sei lá. Cada um é cada um. Eu não recomendo.

Vestidinho e coisinhas bonitas, muitos frufrus e badulaques: Esse vale, principalmente, para mães de meninas: bebê não curte muito ficar todo enfeitado. Além disso, não é prático (lá vem eu com a praticidade). Os balangandãs enroscam nas nossas roupas, o bebê quer por o frufruzinho na boca, a tiara fica caindo na cabeça careca do neném, enfim. Não estou dizendo para você não vestir sua princesa como uma princesa, mas no dia a dia use o básico e deixe essas fofurices para dias especiais. Pense na praticidade. Pense no bebê. 

Pagão – Até um tempo atrás, pagão para mim era aquele povo sem batizado, mas vi que tem uma roupinha que chama pagão. No entanto, por que nunca ouvi falar? Por que esse troço está caindo em desuso. Pagão é um conjuntinho que tem a calça, body e uma jaquetinha, um agasalhinho. Normalmente, são peças super trabalhadas na fofurice, mas nada práticas (até o fim desse post vou falar a palavra “prática” e suas variações mais umas cem vezes). De novo, pese o que considera mais importante: gastar uma pequena fortuna em um conjunto bonitinho ou investir nas roupas que vão tornar sua rotina mais fácil? Reflita!

Sapato – Bebês só ficam no colo ou deitados. Até uns oito meses mais ou menos nem sabem muito o que é chão. Para que comprar sapato antes disso? Para ter no armário e achar bonito? De repente, vale comprar um só para os passeios por aí. Mas bebês passeiam pouco quando novinhos (a maioria). Por isso, cogite comprar sapatos só quando o neném precisar dele. Fica a dica. 

Lenço umedecido – Esse aqui é por uma questão de saúde mesmo. Não! Lenços não provocam doenças, mas são cheios de químicas e podem fazer o bumbuzinho e demais áreas íntimas do seu pequeno mais propensos às reações alérgicas. Na troca de fraldas, eu sempre usei algodão e água e a Valentina não teve assaduras e afins (com exceção de quando nasce dente. Nesse caso, sempre fica um pouco mais vermelhinha essa região). Lenço umedecido é bom para limpar as coisas, não o seu bebê. Fora o cheiro forte. Evitem. 

Kit berço – Sim, quando os nossos bebês nascem a gente quer comprar TUDO, mas tem coisas que não são só desnecessárias, são também perigosas. Antes da Valentina nascer, eu morria de medo da “Síndrome da Morte Súbita”, que, resumindo, é quando o bebê morre, sem explicação nenhuma, no berço ou na cama. Já existem estudos a respeito e alguns deles apontam que encher o berço ou cama do bebê de coisas, cobertas, edredons e ursinhos pode facilitar o sufocamento, o que pode estar por trás de alguns episódios dessa Síndrome. Ainda há muito a ser investigado, mas eu sempre fui uma pessoa muito precavida, quando se trata da segurança da minha filha. Então, não comprei nada de Kit Berço. Só lençol, mantinhas e coberta. Até comprei um protetor de berço, desses que são só uma telinha, mas nem cheguei a usar (está novo. Quem quiser, me contate…rs). De todo modo, Kit berço sempre me pareceu um exagero, só útil para o pó que vai se acumulando lentamente, tornando a vida da mãe mais difícil e mais empoeirada. 

Carrinho – Outro item mega caro, que não vale o gasto. Eu não comprei carrinho, pois pensei que não ia sair tanto assim com a Valentina no começo mesmo, que essas calçadas não são afáveis com os pedestres, que dirá com os carrinhos de bebê da vida, fora que morria de medo do bebê saltar, pular, sei lá o quê. Além disso, sempre achei carrinho uma coisa muito fria para os pequenos. Eles ficam ali, isolados, deitados, sem poder olhar as mamães e os papais. Sempre achei colo mais dinâmico. Comprei sling para esses casos e acredito que fiz o certo. Nunca senti falta desse carinho ultrasônico que cabe até a casa dentro. 

Decoração – Sejamos práticas (hihihi)! No início o bebê vai fazer três coisas: mamar, dormir e fazer cocô. Nada mais. E para todas essas atividades eles vai precisar de uma mãe, um aconchego, um lugarzinho para dormir e muitas fraldas. Enfeitar o quarto do bebê de coisas só servirá para fazer umas selfie do recinto e postar nas redes sociais. O neném não vai ligar a mínima para nada daquilo e, de novo, tais coisinhas só vão servir para encher a vida de vocês de pó e trabalho. Deixe o bebê virar criança, que a tarefa de decoração fica bem mais divertida e lúdica. Antes disso, é tudo exagero. 

Bom, essa foi minha listinha. Discordem. Concordem. Mas não me deixem.

Bjs.

 

 

 

 

 

 

Anúncios

6 comentários sobre “Itens de enxoval que NÃO vale a pena comprar

  1. Ana disse:

    Nossa! Adorei! Vc escreveu tudo que eu precisava ler!
    Estava aqui vendo essas coisas supercaras, imaginando se compensava e se eu precisava de tudo isso…
    Praticidade é tudo! Bjos

    Curtir

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s