A linguagem dos bebês – Quando eles começam a falar de verdade?

baby-996927_1920

Não lembro onde vi, mas achei a analogia muito boa e vou citar aqui: ser mãe é um pouco como jogar videogame, você passa de fase acreditando que a próxima vai ser mais tranquila e lá vem uma mais difícil, com uma série de novos desafios a enfrentar. Eu já passei algumas fases, com sucesso, ainda bem, agora entrei em uma nova: a que a pequena começa a falar.

A Valentina está, atualmente, com 1 ano e 5 meses, e já esboçou o início de uma linguagem verbal. No entanto, nada muito claro, é o começo do começo de algo ainda. Sei que nessa fase alguns bebês já falam até bastante, mas sou da mãe que não comparo. Já entendi que cada criança tem um ritmo. Lembro que a Valentina, por exemplo, só começou a engatinhar com quase 11 meses e logo andou, enquanto têm crianças que engatinham mais rápido e demoram mais a andar.

Mas por que estou contando tudo isso? por que vou falar da linguagem dos bebês. Na verdade, queria entender o que significa essa fase “Minion”que a Valentina está passando. É muito engraçado ver como ela anda interagindo com o mundo. É mais ou menos assim:

— Abodadanend. Moarnndade. Borandadernd.

minion-1338873_1920

fasfafafeadfadferaeradfadfadfaasdfadfadfadf. Hahahahaha!

Eu – que sou uma mãe muito esperta – já decodifiquei algumas “palavras” dela. Essa aí em cima, por exemplo, quer dizer “Mamãe, te amo”. Mas desconfio que ando traduzindo um pouco errado, pois ela fala isso umas trocentas vezes por dia (hahahahahaha).

Mentira. Entendo nada o que ela fala. No entanto, ela já disse sim algumas palavras: a primeira delas foi “Desce”. A escolha peculiar deve-se ao fato de que desde que aprendeu a subir nas coisas, ela sobe na estante da TV, que é bem baixinha. Eu, lógico, peço para ela descer. Daí, ela aprendeu a responder repetindo o que eu disse, mas nada de descer da estante. Prossigamos.

Ela já falou também alguma coisa como “Água”. Sei que foi o que ela quis dizer, pois sempre vinha depois ou pouco antes de eu dar esse bendito refresco para ela. Saiu algo como “Alga”, “Aga”, “Algua”. Também já falou “Mama” várias vezes, mas não conto ainda como “Mamãe”, estou esperando o dia que ela vai falar a palavra certinho para contar (kkk).

Fora essas palavras, o que ela diz muito é “Aqui”, “Daqui” e variantes, querendo pedir algo que ela quer pegar, etc. No restante do tempo, ela está verbalizando como um minion (com toda aquela fofura:).

Fiquei curiosa para saber sobre essa fase e pesquisei no mundo Google. Pensei em falar com uma fonoaudióloga também para saber melhor a respeito (se eu conseguir, posto aqui. Certeza!). O que vi é que na idade da minha filha, normalmente, os pequenos já falam algumas palavrinhas mesmo. No entanto, caso eles não estejam falando, ainda não é hora de preocupação. O alerta só deve ligar quando o bebê chega aos 2 anos sem falar absolutamente nada. Daí é bom investigar, pois pode ter algum problema neurológico ou auditivo mesmo. De repente, pode ser algo até mais simples, como a falta de incentivo do meio.

Mas antes disso, cada criança tem seu ritmo e vai expressar-se com as pessoas a sua volta de formas diferentes. Vale lembrar que a comunicação do bebê inicia-se cedo, ainda recém-nascido. O choro, os gestos, as expressões faciais, os balbucios são formas de comunicar-se também. A vocalização começa com arrulhos (gritos, repetição de vogais) nos primeiros meses, depois vai para a repetição de sílabas (mama, papa) por volta dos seis meses, e gestos mais elaborados (como apontar um objeto) com oito meses. A primeira palavra costuma vir por volta de 1 ano mesmo. Alguns vão usar uma ou das palavras para expressar TUDO. Então, o brinquedo vira “tuti”, o cachorro vira “tuti”, a cenoura vira “tuti”, enfim. Por volta dos  dois anos é que ocorre o que os especialistas chamam de “Explosão de comunicação”. A criança passa a ter um vocabulário mais extenso e a aprender palavras novas quase que todo dia.

Todo esse processo de aquisição da linguagem – nesse caso a apropriação dos sistemas simbólicos que formam uma língua específica, os códigos – só acontece quando o cérebro dos bebês está pronto para isso. Para tanto, além da inteligência dele, propriamente, existe o estímulo do ambiente. Por isso, é sempre bom conversar bastante com os bebês, para que eles se acostumem com as palavras desde cedo. Vou deixar aqui embaixo dois links bem legais de sites que mostram  como funciona esse processo de aquisição da linguagem por parte dos bebês. São materiais mais acadêmicos, mas estão bem claros e fáceis de entender.

Nos próximos posts, vou falar mais do assunto. Por ora, é isso. Bjs.

Por que bebês não falam como adultos

A linguagem, significação e comunicação em bebês

 

Anúncios

Um comentário sobre “A linguagem dos bebês – Quando eles começam a falar de verdade?

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s