Bebês não fazem manha! Entenda

Bebê manha

Manha. Você sabe do que estou falando. Alguma vizinha, tia, conhecida – quase sempre com boa intenção – chamou seu bebê de manhoso, nas inúmeras vezes que ele chorou sem motivo. Você acreditou nela? Realmente achou que seu bebê estava praticando esse ato criminoso de ficar de mimimi para cima de você?

Bom, espero que não. Sabe por quê? Vou contar uma coisa. Bebês não fazem manha! Peraí, vou mais longe. Manha é uma palavra muito da mal colocada que todo mundo usa o tempo todo para explicar as necessidades dos bebês que a gente não consegue entender.

Vai lá no Google. Pesquisa a palavra manha. Você vai ver que essa é uma expressão muito mal colocada em praticamente todas as conversas envolvendo crianças. Manha denota malícia, destreza, habilidade, astúcia. É isso o que essa palavra significa. No entanto, popularmente, ela serve para explicar o inexplicável em se tratando de bebês.

Raciocina comigo: a gente costuma repetir conceitos, sem raciocinar no que estamos falando de fato. Quando alguém ou você diz que o bebê está com manha está querendo dizer que ele está bancando o espertinho, que entendeu como conseguir o que quer, que está tentando te passar a perna, o malandrinho. No entanto, nesse post vou explicar por que bebês não conseguem fazer isso e por que nós, adultos, estamos cada vez mais nos condicionando a continuar acreditando em história da Carochinha.

Por que bebês não conseguem fazer manha

Como disse agorinha mesmo, bebês não têm capacidade para fazer manha por dois motivos: eles não têm noção de causa e efeito e nem domínio da linguagem. Vou trocar em miúdos, o cérebro deles ainda não tem condição de “ligar os pontos” dessa forma. Quando alguém diz “esse bebê está com manha” está querendo dizer “não tem nada acontecendo com ele, está tudo ok, mas ele chora porque sabe que a mãe vai dar colinho para ele”. Agora, volta a raciocinar comigo, pois estamos indo muito bem: um bebê tem capacidade de formular isso aqui:

– Vou chorar agora porque a minha mãe certamente vai me pegar no colo!

Baby chorando

Lá vem eu de novo: sempre chorando nesse blog!

Para fazer isso ele precisaria pensar com palavras, algo que ele não consegue, porque não domina a linguagem. Além disso, precisa ter noção de causa e efeito: se eu fizer isso nesse momento (chorar), minha mãe vai fazer aquilo lá (dar colo). E isso acontece por um motivo muito simples: bebês estão sempre no tempo presente. Não tem passado. Não tem futuro. Bebês são Carpe Diem. Eles agem por puro instinto. Algo o incomoda e ele chora, simples assim. Lembrando que lá atrás disse que atender um bebê que chora é importante para o bom desenvolvimento emocional do pequeno.

Nos primeiros dois anos,  o ser humano passa pelo que Piaget chama de período sensório-motor. Nessa fase, a criança é guiada pela intuição e imediatismo. Bebês vivem tudo como se fosse a primeira vez, já que não conhecem passado, nem futuro. Tudo para eles é aqui e agora. Por isso são impacientes. O bebê de até dois anos é sensorial, percebe o mundo com o toque, cheiro, sabor, som, visão. É um explorador nato e tudo nele é pura emoção. Quando percebe que tem algo errado, ele chora, instintivamente. Não para conseguir o que quer, mas porque essa foi a forma que a natureza encontrou de fazer os pais desse guri atenderem as necessidades básicas dele sempre. Agora, você me diz: se eu dei o leitinho, pus para arrotar, verifiquei a fralda, vi se estava com frio e calor ou sentindo alguma dor, o que esse bebê pode querer mais, minha gente, não faz sentido!

Pois então, vou entrar na segunda parte do post. Nós estamos cada vez mais endurecidos pela falta de contato com nossa natureza.

Necessidades básicas também envolvem o emocional

Seu bebê precisa de tudo isso que listei acima: alimentação, higiene e conforto. No entanto, o bebê é um ser humano. Precisa de afeto, atenção, cuidado, aconchego, calor. Precisa que olhem para ele com amor, com empatia. Ele precisa de um SER HUMANO cuidando dele, não de um robô. Sim, soou um pouco polêmico, eu sei, mas foi necessário. Sinto uma profunda tristeza pela forma como as crianças são tratadas nesse mundo. Gente, é uma pessoa! Precisa de amor.

Quando um bebê chora e a fulana diz “isso é manha”, a mensagem que estamos todos passando para o bebê é a seguinte: “não sei o que você quer e não estou interessada em descobrir, por isso vou rotular de manha e te ignorar”. Como que alguém que recém chegou no mundo vai sentir essa indiferença? Crescendo carente de afeto, de empatia, de compaixão. E vai sempre procurar isso, mesmo depois de adulto, e nunca vai estar satisfeito, pois foi introjetado nele que ele não tinha direito de querer essas coisas.

Mulher chorando

Tocou fundo na ferida. Estou magoada demais agora!

Sim. Sei. Hoje estou um pouco dura. Mas é irritante como as pessoas não entendem que devemos prestar atenção nas necessidades das nossas crianças sempre, para elas não crescerem desamparadas de afeto. E se você acha que isso tudo é besteira, manha existe mesmo e todo mundo fala isso porque está certo, vou te fazer só uma pergunta:

Você seria feliz se tivesse casa, comida e roupa lavada, mas não tivesse NINGUÉM que te amasse e olhasse para você, de verdade?

Todo mundo quer. Todo mundo precisa. É nossa natureza precisar de afeto, de família, de comunidade. Atender um bebê que chora é colocar um tijolinho na construção de uma humanidade mais completa e inteligente emocionalmente. Ao ser atendido, o bebê entende que tem gente ali por ele, de verdade. Isso vai o deixar mais seguro para explorar o mundo. Um neném feliz provavelmente vai ser um adulto feliz. Não por que vai ser o único na face da Terra a nunca passar por uma dificuldade, desilusão amorosa ou privação de qualquer espécie, mas por que vai saber lidar com elas de modo mais maduro, mas emocionalmente equilibrado.

O mundo está precisando disso, né não?

Bora parar de usar essa palavra asquerosa que é “manha”.

Ah, quer saber detalhadamente porque manha em bebês não faz sentido. Clica aqui.

Anúncios

5 comentários sobre “Bebês não fazem manha! Entenda

  1. Mery disse:

    Sua teoria tem lógica até o momento em que os bebês desenvolvem e são capazes de perceber que sempre que quiserem algo seus pais vão dar , se se Agirem de determinada forma , como se jogar no chão , por exemplo.

    Curtir

    • Cíntia Ferreira disse:

      Oi, Mery! Quando falo de manhã me refiro mais a bebês pequenos, menores de dois anos mesmo. No entanto, essa não é uma teoria minha (rs), é fruto de pesquisas de gente séria, que mostra que bebês não tem sistema neurológico para “manipular” os pais. O que defendo é que não rotulemos como manha os choros e acessos de frustração dos pequenos, sob pena de não conseguirmos uma ponte de comunicação com eles eficiente. Bjs. Obrigada por seu comentário.

      Curtir

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s