Cinco mitos sobre bebês – Primeira parte

Bebê e mamãe

O que eu vou falar aqui, mamãe, o seu coração já sabe há um tempão.

“Poxa, Cíntia! Lá vem você dizer que vai falar o óbvio. Vou parar de ler esse blog!”

Não, por favor, não me abandona!

Quando eu digo que vou falar o que você já sabe, é por causa daquele troço chamado intuição, que é poderosíssima, mas damos pouca bola, na maioria das vezes. Depois que viramos mães, começamos a intuir coisas a respeito dos nossos bebês, mas sempre tem a tia, prima ou avó dizendo que não é assim, que esse bebê tem que aprender e blá, blá, blá. São mitos, frases feitas, senso comum, pensamentos difundidos geração após geração sem muito raciocínio embutido. Coisas que deixam as mamães mais inseguras, levando-as, muitas vezes a tomar atitudes alheias à sua vontade, mesmo sabendo que o coraçãozinho está falando “não” para todas elas. 

Sim, mãe. Quando seu filho chora e você quer pegá-lo no colo para acalmar, é isso mesmo que você tem que fazer. Quando ele pede para mamar, mesmo em público,  você amamenta. Ponto. São essas situações que vou falar um pouquinho a seguir. Mas vou fazer em série, tá? Não consigo fazer em tópicos, pois tenho o defeito muito grave de escrever demais. Fica comigo, você não vai se arrepender.

NÃO DÁ COLO PARA ESSE BEBÊ! ELE VAI FICAR MAL ACOSTUMADO!

Essas é uma das frases que mais me irritam. Você dá à luz seu rebento, pega ele pela primeira vez (no colo), sai da maternidade com ele (no colo), amamenta (no colo), interage com outras pessoas (com ele no colo), assiste TV ( e ele no colo), enfim. Já deu para entender, né? Seu bebê não nasce andando por um motivo. Por que não está pronto ainda!!! Ele é um bebê DE COLO. Logo, é nesse lugar que ele deve ficar. O bebê precisa de carinho, calor, segurança, para rumar em direção à independência. Ele precisa sentir que tem um lugar seguro, que há pessoas que o amam, que esse mundo pode ser acolhedor. E onde ele consegue sentir todas essas coisas? No colo! Lembre-de que ele ficou por nove meses em um ambiente quentinho, recebendo tudo o que ele precisava sem precisar pedir. É natural que nos primeiros meses, ele goste mais de coisas que lembrem esse mundo onde ele vivia. O calor da mãe, o contato quase que contínuo, o cheiro…

Bebê e mãe - Colo

Sou um bebê, minha gente! Tenho direito ao colo. Deveria estar até na Constituição!

Tem um pediatra que gosto muito, o Dr. Carlos Gonsalez, autor de “Bésame Mucho” e outros livros lindos. Ele tem opiniões que eu adoro e compartilho (todas!!). Quer conhecer esse homem? Clica na entrevista que a revista Crescer fez, recentemente. Ele diz, por exemplo, que “ninguém foi para prisão por ter recebido colo demais dos pais”. O que acontece, é justamente o contrário. O abandono, a negligência, os maus-tratos: isso é o que “estraga” alguém. Colo é carinho, é bom. Não tem como fazer mal. É amor. Se, você, por exemplo, está pensando: ah, mas ele vai ficar inseguro, chorão, dependente depois! Vou te acalentar com uma informação: nas culturas orientais e em tribos indígenas é hábito levar o bebê no colo, carregado, principalmente em carregadores de pano (o popular sling), quase que 24h por dia. Agora, me diga: quer povo mais independente do que índio? O moleque mal aprendeu a andar e já está pescando sozinho. Já os bebês orientais são dos que menos choram. Logo, esses argumentos não se sustentam. Tá achando que eu tô viajando? A antropóloga Jean Liedloff passou cerca de dois anos vivendo entre tribos indígenas e notou o quão felizes e independentes eram as crianças da tribo. Isso por que, segundo ela, naquela comunidade os cuidadores respeitavam a fase do Continuum do bebê (primeiros meses de vida). Achou interessante (mas é claro que sim!!). O site Aleitamento traz o artigo da pesquisadora.

Eu poderia continuar falando infinitamente do assunto, mas lembra que eu prometi uma série? Então, bora trabalhar nas próximas partes.

A seguir, falarei um pouquinho sobre o mito de que a gente têm que deixar o bebê chorar um pouquinho.

Anúncios

3 comentários sobre “Cinco mitos sobre bebês – Primeira parte

Deixe seu comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s